TESTEMUNHOS

Defender a Vida, uma Missão

Em nossa família, sempre fomos contra o aborto, um entendimento óbvio de qualquer católico, mas descobrimos que somente “ser contra”, não é suficiente.  

Éramos ainda namorados e trabalhávamos no Grupo de Jovens. Um dia, uma moça veio me contar, em desespero, que estava grávida, que seus pais jamais aceitariam, e que ela iria abortar. Tentamos encontrar meios de fazê-la mudar de ideia, conversamos com o namorado, que não queria que ela abortasse, mas que aceitaria a decisão dela.

Foram muitas conversas, ligações, orações... oferecemo-nos para acompanha-la ao falar com seus pais, tentamos de tudo, porém acabou sendo em vão. No domingo seguinte, ela voltou ao grupo, para nos contar que havia tomado o remédio, um remédio cuja venda é proibida no Brasil, mas facilmente conseguido por quem quer matar o próprio filho no ventre.

Naquele dia, eu perdi o chão. Foi um assassinato premeditado, eu sabia, e não consegui evitar, porque não tive argumentos suficientes. Não consegui salvar aquela vida! Eu perdi aquele bebê!

O tempo passou, nos casamos, mas a dor daquela perda nunca me deixou. Um dia, fomos convidados a participar de um Seminário, promovido pela Comissão de Defesa da Vida de Londrina. Lá começamos a entender melhor a “cultura de morte” em que vivemos.  Aprendemos muito, integramos a Comissão e passamos a fazer formações sobre esse tema em paróquias, cursos de noivos e onde mais fossemos chamados. Constatamos que ao se depararem com a verdade, muitas pessoas mudavam de opinião e passavam a rejeitar o aborto.

Um dia, recebi um e-mail de uma mulher desconhecida. Tenho um blog sobre maternidade, onde também escrevo sobre a defesa da vida. Como tantas mulheres desesperadas e desamparadas frente a uma gestação indesejada, ao pesquisar na internet sobre “como abortar”, ela acabou encontrando um de meus textos. Ela me contou que estava decidida a abortar, mas que ao ler o texto, ficou em dúvida. Conversamos por vários dias por e-mail, e eu consegui convencê-la a não abortar. Agora sim, eu tinha argumentos. Salvamos essa vida! Passado um tempo, ela me mandou a foto do seu bebê. Chorei de alegria!  

Ao longo desses quase oito anos atuando nas formações pró-vida, percebemos que muitos dos que se dizem “favoráveis ao aborto”, são manipulados por mentiras espalhadas pelos movimentos abortistas, que com o pretexto de “defender as mulheres”, na verdade as oprimem, levando-as a sofrerem as terríveis consequências de atitudes que vão contra seus valores e sua natureza.

Mas temos duas boas notícias: a primeira é que somos maioria. Quase setenta por cento dos homens brasileiros e 78 por cento das mulheres brasileiras são contrárias ao aborto. Mas somos uma maioria silenciosa, que geralmente não se manifesta.

A segunda boa notícia é que estamos com a verdade ao nosso lado e somos convocados a entrar nessa luta, a anunciar essa verdade, ser luzeiros pelo caminho, a ajudar tantas mulheres que nesse momento estão pensando em cometer esse erro terrível, e salvar vidas e famílias, pela intercessão de Nossa Mãe e Rainha, que nos anima, guia e fortalece.

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” João 8,32

Daniela e Rinaldo Zanatto

XXVIII Curso da União de Famílias Região Paraná

 

Testemunho para o site: Hamilton e Janaina

Vamos contar uma historia para vocês!

“Era uma vez uma família que se sentia muito amada por Deus... Eles tinham 3 filhos, eram membros da União de Famílias de Schoenstatt e desde a juventude buscavam identificar e fazer a vontade de Deus em suas vidas. Ah, sim, eram pecadores e tinham várias limitações, mas o Senhor os amava mesmo assim e a MTA os cuidava como filhos prediletos...

A esposa trabalhava desde os 16 anos e – mesmo tendo 3 filhos – nunca deixou de trabalhar... Quanto mais ela aprendia os conteúdos que o Pai Fundador deixou aos seus, era curada por Deus e mais crescia no seu coração o desejo de ter mais tempo com seus filhos, de estar ao lado deles, de ser mãe por inteiro ao menos por um período. A preparação para a Carta Branca foi decisiva para esta nova vida. Ao colocar tudo o que fazia durante seu dia no papel, “o véu se rasgou” e ela percebeu que não tinha tempo para se dedicar ao que lhe era mais precioso: sua linda família, presente que Deus havia lhe confiado!

A partir desta consagração, a consciência de um maior abandono em Deus foi encarnada por esta família..., Mas, como deixar o trabalho que compunha a maior parte da renda familiar? Essas tensões humanas “criadoras” e tão reais só encontrava respostas na busca pela vontade do Senhor e na Fé Pratica na Divina Providencia... “Eu te sustento! ”, ecoava nos corações dos esposos. Enfim, depois de muitas orações, cura interior e reflexões esta esposa deixou o trabalho e trilhou outro caminho: o caminho do mundo universitário. Ainda assim, além das aulas noturnas, eram necessárias muitas horas de trabalho fora de sala de aula: pesquisas, preparação das aulas, correções, palestras... e novamente se deu conta que o tempo de qualidade novamente não estava sendo dedicado ao seu bem maior... Esposo e esposa se uniram em oração e pediam ao Pai e a Mae do Céu que guiassem seus caminhos, que cuidasse do futuro da sua família.

Um determinado dia o esposo recebe o convite para participar de um processo seletivo para uma vaga de trabalho em outro país. Aos olhos humanos, era uma boa oportunidade de desenvolvimento para todos: novas competências, idioma, cultura, experiência familiar..., Mas, ao mesmo tempo isso exigiria a renuncia do convivio dos familiares e amigos... Saudades!!! Tudo isso foi colocado aos pés do Senhor e consagrado aos cuidados da MTA... O casal pensava “Como vai ser isto? Nossa vida está no Brasil! Nossa família, nosso curso, nossos laços de amizade, nossos bens, nossa história! ” Foi quase um ano completo de discernimento e espera até a resposta final do processo seletivo... Muita entrega, orações, sinais de Deus, partilhas, medos, lágrimas e tudo que possa envolver deixar quem e o que se ama.

Uma noite, o casal em profundo momento de oração com o ouvido no coracao de Deus, pede a ELE uma palavra sobre esta mudança tão grande em suas vidas e ao abrir a bíblia uma determinada passagem salta aos olhos do casal e faz arder seus corações: “Ide, mensageiros velozes, a um povo de alta estatura e pele luzente, a uma nação temida ao longe, a uma nação poderosa e dominadora, cuja terra é cortada pelos rios” Isaías 18,2.

Deus que é Pai, que “sabe quais são as melhores fraldas para cada um de nós” e sonda os corações, vem em auxílio daqueles que o buscam de coração sincero. Nada há o que temer, pois “Ele está no meio de nós”!

Enfim amados shoenstattianos, esse é um singelo resumo da história que aconteceu conosco.

Estamos morando nos EUA desde Dez/16. Em 5 meses aqui, podemos testemunhar muitas coisas, sobretudo: o quanto Deus ama e cuida de cada um de nós e também como a MTA atua em nossas vidas! (em nosso Santuário Lar demos a Ela o título de Mae Providente e Educadora).

Realmente nos sentimos como filhos prediletos ao perceber seus cuidados no dia a dia. Morar no exterior não é algo fácil, ao menos no início. A adaptação é dolorida! É um processo de desconstrução e reconstrução diários. Você não fala o idioma (no nosso caso ninguém tinha inglês fluente) e, portanto, não tem mais a autonomia que tinha no seu país, ninguém conhece sua história, seus hábitos culturais são diferentes do que vivem aqui, outro clima, outras regras. E tudo isso dói ... e muito! A certeza de que nosso Pai permitiu e planejou este tempo em nossas vidas nos deu força para passar os momentos mais difíceis e nos sustentar até aqui ao mesmo tempo em que estas dificuldades tem sido oportunidades muito fecundas de contribuição ao capital de graças.

Tivemos a graça de conhecer um casal maravilhoso da União que também está morando aqui (Fabio e Vanessa _ XXII Curso de São Paulo) e que tem nos apoiado muito desde que chegamos. Apesar de morarmos longe fisicamente, nos sentimos muito perto deles. Somos filhos do mesmo Pai, membros da mesma família! Existe uma identificação que vai além de nós!

De forma prática, é interessante compartilhar que o santuário mais próximo fica em NY e está a 02h30 da nossa casa. O santuário de Milwaukee fica há mais de 12 horas de carro (2 horas de avião). Neste sentido o cultivo do nosso Santuário Lar tem se intensificado e sido um grande presente para nós. O que seria de nós sem a presença da MTA em nossa casa? Não saberia responder a vocês.

A MTA com sua delicadeza tem colocado em nosso caminho muitas pessoas boas, das quais já convidamos para rezar o terço em nossa casa algumas vezes. Encontramos uma paróquia perto de casa, uma capela para adoração ao Santíssimo que fica aberta todos os dias e assim nossa vida segue... Com tempo para dedicação aos filhos, tempo para aprender o inglês, tempo para rezar e passear, enfim, um verdadeiro “tempo de graças” em nossas vidas.

Nossa família e nossos irmãos de curso acompanharam todo o processo desde o primeiro momento, rezaram e esperaram conosco, conhecem nossa história e sabem que nós os amamos! Nada preencherá o espaço que lhes pertence em nosso coração. Nos mantemos unidos no mesmo ideal e missão, juntos buscamos estar conectados com todos os recursos sobrenaturais (orações, propósitos, sacrifícios, intenções) e também aqueles que a tecnologia nos permite (Skype, watsap, e-mail, telefone).

Em julho deste ano faremos nossa consagração perpétua como XV Curso e queremos continuar a fazer a vontade de Deus e temos certeza que estamos vivendo um tempo que ELE sonhou para nossa família, e esta certeza nos sustenta.

Grande abraço da nossa família!

Hamilton, Janaina, Ana Clara, Luiza e Joao Pedro

XV Curso - Região Paraná

Maio, 12, 2017

"TUDO PASSA, SÓ O AMOR FICA" (I Cor 13, 8)

Estávamos na cozinha, e naquele instante virei-me para olhá-la. Ela se mantinha ali, imóvel, olhar ao longe, não buscando nada.  Talvez se eu forçasse um pouco minha imaginação, pudesse perceber algum traço de sorriso no rosto de minha mãe.

Apesar de estar sentada na cadeira de rodas, ainda conseguia andar. Mas sim, lentamente, com ajuda.

Então me vem à lembrança o quanto caminhávamos juntas! Na minha juventude, quando ainda não havia os shopping centers, nos aventurávamos nas ruas de comércio do centro da cidade. E como desvendávamos cada nova loja! Mais tarde, eu já adulta, e também mãe, nos confidenciávamos nas caminhadas tranquilas, buscando realizar uma atividade física prazerosa.

Continuo a preparar o almoço, e meus pensamentos vão e voltam viajando pelo tempo.

Como é possível uma saudade tão grande da pessoa que está presente? Presente a seu lado? Saudade que dói.

Agora corto a cebola para a salada.

Ainda nessa relação de mãe filha, lembro-me das várias formas empíricas e verdadeiramente engraçadas que minha mãe me ensinou para não "chorar" ao descascar cebola.

Volto-me novamente para ela.

Parece que tudo lhe foi tirado. Só um pensamento me vem à mente: "tudo passa, só o amor fica".

Ela não sabe mais o quanto caminhamos juntas, o quanto rimos e nos estranhamos. Tudo se foi. Talvez até o sorriso, que penso ser para mim, não exista.

A única certeza é o grande amor que tenho por ela e que ficará.

Nossos truques para cortar a cebola parecem que não deram certo, e caio no choro.

Claudia e Sidônio

Região SP - IX Curso da União de Famílias

 

Peregrinação a Aparecida

Nos dias 22 e 23 de abril estivemos em Peregrinação a cidade e ao Santuário da Mãe Aparecida, em São Paulo.

Aparecida, cidade do tamanho que a Mãe quer, não muito grande, nem pequena demais. Lugar onde cabe a admiração, a fé, a devoção e emoção de quem chega.

Cidade tranquila, onde estão situadas as duas casas da Mãe, a Igreja antiga e a Basílica nova, belíssimas as duas.

Também abriga a Capela, onde por primeiro ficou a imagem da Mãe Aparecida.

Lugar que mantém, apesar do número enorme de Peregrinos, uma atmosfera de tranquilidade, paz, bem-estar e alegria.

Impressiona a beleza da Basílica nova, onde tivemos a graça de contar com uma Guia que nos relatou, com muita emoção e profundidade, a história da criação da Basílica e de suas imagens, perfeitas e esculpidas com grande amor.

 A Basílica causa impacto a quem chega, pela grandiosidade, beleza.

Visitamos a Sala dos Milagres, na Basílica, cujo teto está sempre coberto por fotos, agradecimentos, por graças alcançadas e que são substituídas a cada dois meses, considerando o grande número de graças alcançadas.

Não há como passar diante da imagem original (tão minúscula) da Mãe Aparecida, sem sentir o exalar das graças que ela distribui. Não há como não nos emocionarmos

Quando retornávamos para casa, já pensávamos em voltar a visitar esse belíssimo lugar, a CASA DA MÃE APARECIDA e contar com suas graças.

Clovis e Rejane – VI Curso da UF/ RS.

TESTEMUNHO- UM SOPRO DO ESPÍRITO SANTO ...

   A peregrinação à Aparecida foi um grande presente para nós pessoalmente, e acreditamos que também para a Comunidade que amamos e escolhemos há 29 anos: a União de Famílias.

   O sonho desta peregrinação começou numa conversa por Skype com a Bete e o Antônio Carlos de São Paulo e depois com a Vera e o Armindo do PR e até a ultima noite com a Alvenir e o Gabriel do RS (a equipe da CEU dos Perpétuos), que não puderam participar devido à morte do irmão da Alvenir.  Um sonho que quase foi excluído na reunião Ampliada de 2016, por que nossa Comunidade teria 2 grandes eventos em 2017 (o outro – o Encontro de Formadores em Curitiba), e esta peregrinação talvez tivesse que ser descartada. Mas o Espírito Santo nos conduziu e soprou a Sua Vontade...

    Na manhã do dia 21 de abril nossos irmãos do PR, SP e RS e até de Fortaleza, chegaram a Atibaia. Na bagagem traziam muitos pedidos, renúncias e sacrifícios para estar ali naquele dia. Em contrapartida nossos irmãos perpétuos de São Paulo tiveram uma dedicação amorosa muito especial para acolher, presentear com mimos e sabores, carinho e abraços a presença dos que vinham de longe! A eles nosso Obrigado perpétuo!!   Estar em família, como família, desde a chegada foi comovente e preparou os corações e o espírito para tudo o que receberíamos nestes dias abençoados.

  Da linda tarde de sábado em Atibaia, gostaríamos de partilhar um momento que nos marcou muito: o “Empunha o Cetro “. Antes de iniciar a programação, nossa irmã de Curso, Nair Lodi (Fortaleza – CE) nos procura e pede se poderíamos incluir esta oração do RC durante a as atividades previstas.  Havíamos preparado um momento de reflexão e oração, e a Bernardete e o Gines, tinham trazido o cetro de nossa Mãe Peregrina ... Então o Espírito de Deus, o seu Espírito Santo soprou novamente ...  e este momento foi realmente de União e de céu.  Cada unionista presente foi convidado a colocar seus pedidos pessoais, os de todos os doentes de nossa Comunidade, os sofrimentos revelados e os ocultos de todas as amadas famílias da nossa União e invocávamos ao final de cada pedido “ Mãe Empunha o Cetro “!! Ali estava nossa Rainha e nosso Pai e Fundador e também uma família rezando unida, suplicando junta pelas suas dores e cruzes e agradecendo por esta história de 29 anos da nossa União de Famílias no Brasil.  A nossa história Sagrada, porque Deus se manifestou fortemente nela e as graças que nossa Rainha intercede por nossa Comunidade são imensas. E o nosso compromisso com esta Rainha e o nosso Fundador é Perpétuo e sob seu reinado queremos viver até o fim!

  Em Aparecida no outro dia, uma sucessão de surpresas e encantamento com o belíssimo templo que o nosso país preparou para Maria, Aparecida humilde e quebrada do meio das águas de um rio barrento, encheu até as bordas novamente o nosso coração e a nossa mente. Como não se emocionar com tanta fé? Com tanta humildade e devoção de milhares de fiéis? Com tantas obras de arte, com a imensidão, grandiosidade e beleza daquele templo dedicado à Maria e Jesus?? Agradecemos à Deus por nossa Mãe e Rainha Aparecida e pedimos por toda a nossa nação especialmente por nossa Comunidade da União de Famílias no Brasil.   

               Rosângela e Thomé Lovato – 1º Curso / Região Sul

 

RELATO SOBRE AS VIVÊNCIAS NO SANTUÁRIO-LAR NOVA FAMÍLIA DO PAI

O Santuário-Lar é para nós um grande presente, um verdadeiro tesouro!

Preparamos-nos com muita alegria e empenho tendo como mapa do tesouro os ensinamentos do Pai e Fundador que na Carta de Santa Maria nos dá as pistas em como chegar até a instituição do Santuário-Lar, por meio das contribuições ao Capital de Graças. Foi um período muito rico pelos estudos, pela descoberta do Ideal de nossa família – NOVA FAMÍLIA DO PAI, entrega e empenho como casal.

O grande dia em que o tesouro nos foi presenteado aconteceu com a Santa Missa seguida da benção e consagração do ambiente escolhido para ser o Santuário-Lar. Participaram familiares, amigos e membros do Movimento de Schoenstatt, sendo presidido pelo Pe. Irineu Trevisan. Neste mesmo dia a Mãe e Rainha já quis atrair corações juvenis para além dos que participavam da cerimônia. Isto aconteceu quando um vizinho do prédio a frente do nosso nos interfonou querendo saber o que se realizava em nossa casa, pois viu o movimento de várias pessoas que rezavam e cantavam, e nos contou que tinha ficado tocado e nos parabenizou. Interessante que esta pessoa era evangélico e quis de alguma forma se manifestar pois algo diferente o atraiu!

A partir da instituição do Santuário-Lar era comum nossos vizinhos trazerem velas, pedidos e se colocarem perante MTA para fazerem suas orações.

Nossos filhos vivenciaram e vivenciam a corrente que emana do Santuário-Lar desde o nascimento deles e foram crescendo a luz das graças e cuidados da Mãe e Rainha a partir da sua vinda para nossa casa.

Depois de alguns anos mudamos de residência sendo que na construção da nova moradia tivemos a preocupação de projetar a casa a partir do ambiente central e mais importante, nosso Santuário-Lar, pois queríamos que o trono da MTA fosse no coração da casa, num ambiente que favorecesse o acolhimento, a transformação e o envio apostólico de todos nós. Esse local é uma pequena sala entre os quartos do casal e dos filhos que favorece o recolhimento e o contato com Deus Pai, e assim sentimos verdadeiramente que Aqui é Bom Estar!

Temos alguns costumes familiares em torno ao Santuário-Lar:

- num mural em uma das paredes laterais colocamos fotos, frases, lembretes e registros que nos recordam os valores e princípios de nossa família, como os compromissos e responsabilidades com o Movimento de Schoenstatt, além do registro do Capital de Graças;

- em uma caderneta anotamos pedidos da vida dos membros de nossa família como também de amigos e conhecidos que nos solicitam oração e a intercessão da Mãe e Rainha em suas necessidades;

- procuramos fazer orações no Santuário-Lar de maneira individual e familiar, sendo que nas ocasiões especiais litúrgicas e de celebração de acontecimentos que nos são importantes como aniversário, conquistas na escola, no movimento, no esporte, viagens. Estes momentos nós entregamos à MTA oferecendo as nossas lutas e méritos para que Ela continue sendo nossa grande Educadora e Intercessora junto a Deus Pai.

Em nosso Santuário-Lar, a MTA foi coroada como RAINHA DA SAÚDE, atuando e intercedendo para o bem-estar físico, espiritual e emocional de nossa família e de outras pessoas que solicitam que rezemos em suas intenções.

Temos convicção da presença e atuação da MTA em nosso Santuário-lar e sabemos que Ela nos acompanha nos momentos de alegria e angustia. Um fato nos marcou profundamente quando no dia do resultado do Vestibular que nossa filha mais velha havia prestado, ao recebermos a notícia da sua reprovação, ficamos muito tristes por sabermos de todo o seu esforço e dedicação nos estudos. Tínhamos neste dia deixado uma vela acesa, como de costume nos dias especiais para nossa família. Em seguida da notícia da reprovação, quando ainda estávamos bastante abalados, sentimos cheiro de queimado que vinha do local do Santuário-Lar. Quando chegamos lá presenciamos um pequeno incêndio que atingiu especialmente a estampa da MTA. Para nós aquele evento significou que a Mãe e Rainha manifestava que também sofria conosco. Sentimos-nos novamente acolhidos e abrasados no amor maternal da querida Mãe de Deus e nossa Mãe e confiantes de que a Divina Providencia tinha um plano para nossa família. Confortados e novamente fortalecidos nos organizamos na re-conquistar do nosso Santuário-Lar, tanto espiritualmente como na arquitetura interior do ambiente, colando uma nova estampa da MTA sobre a que se queimou, pintando a parede etc. e celebrando uma missa para re-coroarmos a Mãe e Rainha como nossa Rainha da Saúde! Dois anos depois alcançamos a grande graça de nossa filha ser aprovada no Vestibular no curso de Medicina e em nossa cidade!!!

Por isso e muitas outras graças no plano espiritual, físico e emocional a MTA tem atuado constantemente em nossa família como a nossa grande Educadora, nossa grande auxiliar na conquista da Nova Família do Pai a partir do Santuário-Lar – nosso grande tesouro! 

 

Família Guariente

III Curso da União de Famílias

Região Paraná - Brasil

AÇÃO DE GRAÇAS PELA CURA DO JOÃO VITOR

Hoje é dia de festa, dia de unir as nossas vozes e bendizer, cantar louvores a Deus Pai e a Maria Santíssima por todo bem, por tanta graça que nos cumulou neste tempo de tanta angustia e sofrimento. As experiências vividas neste tempo são tão intensas e profunda que é até difícil de falar.

Pudemos sentir que na intensidade da dor, sobrepunha sempre a graça de Deus. Tivemos experiências extraordinárias de como Deus prove todas as nossas necessidades, nos mais simples acontecimentos, até aquilo que aos nossos olhos pareciam impossíveis. Tivemos a grande graça de uma sensibilidade a tudo que é humano e divino. Quer dizer como Deus age na nossa humanidade e a torna divina, sentíamos isso através dos gestos mais simples das pessoas, das palavras ditas na hora certa, do olhar carinhoso, do sorriso cheio de ternura, do abraço apertado, de uma mensagem de um irmão distante, como faz bem a nossa alma essas delicadezas de Deus através das pessoas, mas especialmente as muitas e muitas orações que foram feitas em favor da cura do João Vitor. Essas orações faziam gritar em nosso peito que não estávamos sozinhos, e que havia uma multidão de corações generosos unidos a nós, nos sustentado em todos os momentos. Essas orações e suplicas movia nosso olhar para o alto, e a cada dia nos fortalecia a esperar em Deus o socorro necessário. Nós como pais da Bárbara e avós do João, como diz um velho ditado, tivemos que fazer das tripas ao coração, pois tínhamos que estar prontos em todas as necessidades e não demonstrar fraqueza, e fomos especialmente sustentados neste sentido. Queremos glorificar a Deus pela vida da Bárbara e do Hugo nosso genro que enfrentaram uma por uma todas as dificuldades e tenho certeza fez toda diferença na conquista dessa vitória. Deus realmente presenteou o João com um anjo, um anjo que cuida, protege, alimenta e esta sempre atenta e pronta para todas as situações, o amor é seu combustível, orgulho imenso de você filha, rocha firme e segura.  Também pela vida do Pedro nosso neto que agüentou firme longe da família pela saúde do irmão. E o João, o que falar desse menino frágil na aparência, mas com força de um verdadeiro guerreiro, é por ele que estamos aqui, é ele que nos transmite toda força, nas horas mais difíceis fazia isso com olhar, e quando esses momentos passavam, a alegria era, alias, a alegria é sua companheira constante, não tem como não se contagiar.  Todos do hospital ou quem entra em contato com ele se encanta com seu jeito sapeca, nem parece que passou por tanto sofrimento. Não tem como não dar graças só de olhar para ele.

Agora é tempo de glorificarmos a Deus:

Gratidão Deus Pai, pela cura do João,

Gratidão a Jesus pela misericórdia derramada sobre nossa família,

Gratidão Senhor pela incansável intercessão de Maria nossa querida Mãe e Rainha, e do servo de Deus Sr. João Luiz Pozzobon.

Especialmente queremos dar graças pela vida de cada um de vocês, que se colocou diante de Deus Trino e Maria Santíssima e imploraram pela cura de nosso neto. Essa vitória significa a união de tantos corações clamando com fé a Deus, em uma só voz e uma só alma, todas no mesmo desejo, de ver o João curado. Nós reconhecemos que sozinhos não teríamos conseguido nada. Vemos claramente quando Deus uni a família, os amigos, a comunidade paroquial, a comunidade de vida (União), e um povo orante que acredita que Deus é o Deus do impossível, os milagres acontecem, e é isso que estamos fazendo aqui hoje, testemunhando a vitória Deus.

FRANCISCO E SONIA

IX Curso – Região São Paulo

Testemunho Juciliano e Veridiana Caliari XVII Curso da União – Região Sul

Schoenstatt sempre marcou muito nossas vidas, foi “Amor à primeira vista”. A partir do momento em que entramos na Obra das Famílias nossas vidas iniciaram uma caminhada de transformação, em especial depois que entramos na União de Famílias.

            Todos nós no decorrer da caminhada, dos estudos, das vivências, vamos sentindo esta transformação... vamos sentindo o pulsar dos nossos corações pelos mesmos ideais, pelos mesmos objetivos... isso nos anima, nos encoraja e renova nossas forças para lutarmos por nossas famílias, pelos nossos filhos... para resgatarmos o mundo de hoje que lentamente vai morrendo, sem sentido nenhum para viver.

            Ao longo dos 15 anos no movimento, nossa família vivenciou momentos de muitas alegrias, decepções, incertezas, sofrimentos e momentos de muitas provações, onde o bom Deus nos levou a dar um salto mortal na nossa fé.

            Primeiramente foi em 2010 quando veio a transferência do Juciliano (que é militar) para o sertão nordestino (Caicó-RN), meio a contragosto nosso, pois não queríamos sair de Itaara/RS, onde morávamos há 10 anos. Mas enfim, deixamos nossa vida segura, “fácil”, largamos tudo... e partimos:  nós dois, nossos dois filhos (Matheus e Isadora) e o nosso Santuário Lar (DA AUTO-EDUCAÇÃO), sim pois naquele momento tínhamos tudo o que precisávamos dentro do nosso carro.

            Recém chegados, mal tínhamos nos instalado, descobrimos que Deus realmente sabia que tudo o que precisávamos  estava dentro daquele carro... inclusive mais um presentinho Divino (nosso terceiro filho Germano Luis), nossa, que benção!!! que alegria e ao mesmo tempo “nossa e agora!!!” sozinhos, aqui longe de tudo e de todos, em pleno sertão, numa cidade que não é diferente de muitas outras do nosso Brasil, que oferecia pouca estrutura na área da saúde, longe 300 km da capital (Natal/RN)... mas como a Mãe cuida de tudo -  Ela sempre cuida de tudo...nós é que muitas vezes não queremos aceitar que Ela está no comando - tive uma gravidez maravilhosa, tranquila, sem nenhuma alteração... tudo corria dentro normal até o dia do nascimento do Germano. O nosso planejado era que os pais do Juciliano viriam do Rio Grande do Sul, pra ficar com as crianças e nós iríamos pra Natal ter o bebê, mas a “bolsa rompeu” justamente quando o Juciliano tinha ido pra Natal buscar o seus pais. Esperei ele chegar pra irmos de volta pra Natal, mas depois de andarmos aproximadamente uns 100 km, o Germano estava nascendo (só não nasceu dentro do carro por que estava sentado) e eu não estava mais aguentando. Que decisão difícil... parar ali e tentar a sorte ou seguir pra Natal faltando ainda 200 km... A partir desse momento o BOM DEUS visivelmente conduziu tudo. Entramos na primeira cidade que encontramos no caminho pra ver se tinha um hospital - qual foi nossa surpresa -  encontramos uma maternidade, onde tinha toda uma equipe médica pronta pra realizar uma cesariana. Pronto foi quem nos salvou a mim e o Germano (pois nós não aguentaríamos mais meia hora). PURA GRAÇA, UM MILAGRE!!! Sempre que refletimos sobre estes acontecimentos, relembramos que aquela maternidade foi para nós uma nova Belém que o Bom Deus preparou para nos salvar e providencialmente o nome da cidade é CURRAIS NOVOS/RN.

            Final de 2012 novamente outra transferência, desta vez pro sul. O atuar da providência nos levou pra Santa Cruz do Sul, onde humanamente não tinha nenhuma chance do Juciliano conseguir uma vaga, só que na cidade de Santa Cruz tem um Santuário da Mãe Rainha...nossa alegria e gratidão não cabiam em nossos corações. De volta ao “LAR”, junto dos familiares, irmãos de curso, cidade muito boa de se morar...refizemos os planos “terrenos”, nos instalamos, projetamos nossa futura casa e agora era mãos à obra.

            No mês de novembro de 2013 tivemos o encontro territorial das famílias em Santa Maria, onde tivemos a oportunidade de vivenciar e percorrer “OS PASSOS DO PAI” (caminho que o Padre Kentenich percorreu em Santa Maria e arredores). Logo em seguida tivemos nosso encontro de curso, que tratava sobre o 20 de janeiro, em que o Pai fundador deu um salto mortal na sua fé e isso nos levou a refletir muito sobre essa fé do nosso Pai fundador e nos questionávamos: teremos nós também essa fé quando nos for solicitado? Mal sabíamos que Deus já estava à nossa porta.

            No dia em que começamos a fazer os alicerces de nosso casa, o Juciliano chegou em casa com o resultado dos exames que havia realizado e neles estava escrito: Aneurisma de arco-aórtico medindo 7,5 cm de diâmetro. No dia nem damos muita bola, o Juciliano até brincou “acho que trocaram meus exames, pois fui ver porque estou com um problema na voz e volto com um diagnóstico cardíaco”. No dia seguinte que caiu a ficha da gravidade do problema, os primeiros médicos diziam: “garoto você tem uma bomba relógio no peito prestes a explodir” ficamos completamente chocados, sem chão. Logo começou a peregrinação atrás de especialistas para saber realmente a gravidade e qual poderia ser a solução. O diagnóstico de todos era o mesmo - risco de vida eminente - pois o aneurisma continuava crescendo e a solução era uma cirurgia de alto risco e valor.

            Assim como o Bom Deus nos mandou as provações, ele também nos deu as forças necessárias para enfrenta-las..., colocando pessoas certas, na hora certa e nos locais certo. A MÃE sempre estava cuidando de tudo. Começou que foi no dia 18 de dezembro quando o Juciliano consegui chegar até um médico militar especialista em cirurgia vascular que posteriormente realizaria sua cirurgia. Sempre dizemos que foi muita “Providência” pois todos (familiares, amigos, vizinhos) estavam rezando muito e o pessoal do movimento de Schoenstatt começou rezar a novena do João Luiz Pozzobon, qual não poderia ser a surpresa quando nos deparamos com este médico militar - era um conhecido do Juciliano e o nome dele é Dr. João Luiz Elesbão - nossa é muita Providência Divina, muita graça. Do dia da descoberta do aneurisma até a realização da cirurgia em 29 de janeiro 2014, se passaram mais de 60 dias e o aneurisma cresceu dos 7,5cm iniciais, para 11,5 “somente o poder da oração e da fé que impediram o seu rompimento”. Realizado a “mega” cirurgia veio o pós operatório que correu tudo dentro do esperado pela equipe médica e das inúmeras sequelas que o Juciliano poderia ficar, saiu sem nenhuma. Outro questionamento da equipe médica era como esse aneurisma apareceu numa pessoa tão jovem (na época 36 anos), com uma saúde perfeita, atleta e que não tinha nenhuma predisposição patológica? sem sombra de dúvidas “são as melhores fraldas”. Hoje podemos ver com clareza que todos esses acontecimentos eram necessários e foi durante esse período que crescemos, amadurecemos e nos fortalecemos na fé, tanto como casal, família, curso... em momento algum duvidamos da infinita bondade de DEUS PAI e meu pensamento era sempre o mesmo “MATER HABEBIT CURAM” ... e como ela cuidou. Outra grande surpresa que tivemos foi a gigantesca corrente de orações que se formou nesse tempo... a quem encontrávamos, conversávamos, nos diziam - estamos rezando pelo Juciliano - isso foi de norte a sul do país... e o que dizer dos nossos irmãos de curso... quanta solidariedade, sempre prontos a ajudar... sem palavras!!! O milagre se repetiu e após quase 3 anos o Juciliano está bem, com a vida normal que ele tinha antes – no trabalho, no nosso “lar” e junto com nossos filhos - mas com toda certeza nós estamos muito diferentes, muito melhor agora do que antes.

            Muitos da União já sabem da nossa história - o nosso testemunho é para aqueles que não sabiam ou que estão começando agora no movimento, na união - como é bom poder olhar para trás e sentir que cada lágrima derramada “era doce com mel” que valeu a pena... e como é bom ser da União de Famílias de Schoenstatt... que “aqui é bom estar” e sempre mais confiantes que a “MÃE CUIDA DE TUDO PERFEITAMENTE”. Amém

 

Juciliano e Veridiana Caliari – XVII Curso da União – RS

TESTEMUNHO CASAL RICARDO E FRANCIANE - XX CURSO REGIÃO PARANÁ

Nossa família escolheu Schoenstatt para percorrer um caminho de fé e crescimento espiritual. E dentro de Schoenstatt, sentimos que nosso chamado foi para a União de Famílias. O que hoje é uma bênção e uma graça para nós!

Todo o trabalho de auto-educação proposto pelo Pai Fundador em sua pedagogia, também os estudos das propostas da Igreja para uma vida familiar saudável, a educação dos filhos e, enfim, tantos temas que aprofundamos e discutimos em reuniões e encontros traçam um norte para nossa família que aponta para a vivência prática da Aliança de Amor e o cultivo do Santuário-Lar.

No entanto, isso tudo ainda não seria suficiente para dizer o quanto é maravilhosa, e nem por isso menos desafiadora, a vida comunitária que temos no Curso, na União e como um todo na Família de Schoenstatt. A alegria, a partilha, o estar com o outro nos momentos difíceis e felizes, poder contar com pessoas que nos acolhem é sentir-se plenamente família.  Também nas dificuldades que aparecem nesse convívio somos chamados a aprender a ouvir, compreender e aceitar as diferenças de cada um, praticar o perdão e a misericórdia ajudando-nos a crescer e amadurecer. E o que dizer das crianças que crescem nesse ambiente positivo e criador? Não há legado maior!

Assim, agradecemos a Deus e nossa Mãe por esse caminho que Eles escolheram para nós e como “Fogo Heroico do Pai” - nosso ideal de Santuário-Lar - queremos seguir lutando pela nossa família, por nosso Curso, pela União de Famílias e por Schoenstatt, dentro da missão que nos foi confiada e que vamos descobrindo a cada dia!  

 

Ricardo e Franciane Wazen

XX Curso / Curitiba / Região Paraná

 

 

Testemunho Vagner e Márcia - Região São Paulo

Logo depois do nosso casamento, em dezembro de 1990, viemos para São Paulo. A Igreja sempre foi nosso refúgio desde que nos conhecemos num grupo de jovens.

 A MTA no Santuário nos acolheu e nos presenteou com uma família em Schoenstatt.

Estamos na União de Famílias desde 1999, no V Curso; nesta família temos a oportunidade de aprofundar e vivenciar nossa espiritualidade em todos os âmbitos de nossas vidas.

Somos profundamente gratos a Deus e à nossa Mãe por sermos hoje uma família, por termos “irmãos” com os quais podemos e poderemos sempre contar na União de Famílias em qualquer lugar onde estejamos.

Vagner e Márcia Urias – V Curso

Região São Paulo

JOSÉ ROBERTO E ADRIANA UF 16º CURSO - REGIÃO SP

Gostaríamos de dividir com nossos Irmãos da União e testemunhar como foi nossa experiência de representar nossa comunidade na primeira edição da Expo Schoenstatt que ocorreu no último dia 23/08, domingo à tarde, no Santuário da Presença Vitoriosa do Pai, Vila Mariana, São Paulo.

 Até então, como as Irmãs descreveram, era um teste. Uma feira com tendas onde as pessoas podiam conhecer alguns dos ramos do Movimento de Schoenstatt. Estavam lá presentes as tendas das Irmãs de Maria, das Mães, da Campanha da Mãe Peregrina, Pioneiros / Jumas, Apóstolas / Jufem e a tenda da Obra das Família.

 Na nossa tenda estavam presentes os três ramos da Obra das Famílias, nós representando a União, a Liga representada pelo Marcos Weissmann e o Instituto representado pelo casal Diógenes e Paulina Lawand.

 Além das tendas, as Irmãs juntamente com alguns colaboradores dos ramos, montaram uma mostra com banners e objetos que remetiam a história de nosso Pai Fundador, desde seu nascimento, a entrada para o Seminário dos Palotinos, o campo de concentração em Dashau, da entrega da Obra até seu retorno a Schoenstatt após o exílio. Uma mostra muito emocionante e para aqueles que não conheciam a vida do Pe. José Kentenich, tiveram uma oportunidade de descobrir mais sobre a vida de nosso Fundador.

 Nosso filho Lucas de 9 anos , todo orgulhoso por ser Pioneiro, foi ansioso trabalhar na tenda do Jumas junto com nosso pequeno Miguel de 4 anos que foi “adotado” pelos meninos do Jumas pois ainda não tem idade para ser um, mas que tem o espírito de Pioneiro com ele, como disse o próprio Pe. Alexandre Awi em outra oportunidade.

 Eram esperadas a presença de mais de 200 pessoas da Diocese de Santo André - SP, coincidência ou não, cidade natal de minha esposa Adriana. Para quem já visitou a Vila Mariana e que conhece, sabe que estamos no centro de São Paulo e o espaço aqui é pequeno comparado com o Santuário de Atibaia. As pessoas foram chegando aos poucos e de repente vimos o Santuário cheio de peregrinos.

 As pessoas curiosas passavam entre as tendas escutando sobre as comunidades. Muitas delas não tinham idéia da abrangência do Movimento de Schoenstatt, pois a única experiência que tinham era de receber a Imagem da Mãe Peregrina em suas casas.

 Então estávamos lá, em nossa tenda, falando sobre a Obra das Famílias, sobre a União e nosso exemplo de nos espelharmos na Sagrada Família de Nazaré, de Nossa Mãe Educadora, sobre a pedagogia de nosso Pai, de nosso co-fundador Dr. Kürr e a fundação da Obra em pleno campo concentração em Dashau e finalizando com a frase do Pe. Kentenich; “Salvai as Famílias, custe o que custar.”

As pessoas nos escutavam atentas e ficavam maravilhadas com nossas explicações e com nosso trabalho. Algumas diziam que iam falar sobre nosso ramo em suas comunidades, outras diziam; “vou falar de vocês para meu filho”, “para meu irmão”... Algumas senhoras chegavam até nos agradecer pelo trabalho com as famílias.

 Foi quando eu estava explicando sobre a Obra para duas senhoras e eu finalizei dizendo: “meu filho está ali, na tenda do Jumas, ele é um Pioneiro....”.

 Ela me interrompeu e disse; “Seu filho é um menino chamado Lucas?

 Surpreso respondi: “Sim, é ele mesmo!” e curioso perguntei a ela se tinha falado com ele.

 Ela disse: “Você e sua esposa estão de parabéns!” e começou a elogiar nosso filho, da desenvoltura e da alegria dele de falar sobre o Jumas e dos Pioneiros.

 Eu e a Adriana ficamos sem palavras. O Lucas era de colo naquela época, tinha alguns meses de vida quando fomos até Atibaia para escutar as explicações do Oscar e Inês, do Sheizi e da Marina de como era a União e agora estamos aqui consagrados e representando nossa comunidade.

 Se somos hoje o que somos, uma Família da União Apostólica de Famílias, agradecemos primeiramente a Nossa Mãe Rainha Três Admirável por ter nos escolhido, ao nosso Pai Fundador por sua pedagogia, a União de Famílias que nos acolheu por todos esses anos, aos nossos formadores, Família Naka e aos nossos Irmãos do XVI Curso; Famílias Araújo, Elesbão e Furquim.

 Representar a União neste evento foi um grande orgulho para nós, uma grande alegria e também foi um presente para nossa Família.
 
 Muitas pessoas se questionam onde encontrar a felicidade, a alegria. Algumas pessoas passam a vida inteira em busca deste “bem” intangível e algumas delas no final da vida chegam a perceber que não foram felizes.

 Nós encontramos, temos a felicidade de fazer parte da União Apostólica de Famílias.

 Bênçãos a todos de nossa MTA,


Adriana e José Roberto Paneque
XVI Curso

JEAN E TATIANE DOTTO – UF – 15º CURSO – CURITIBA – REGIÃO PARANÁ

Fazer parte da União de Famílias foi uma graça que recebemos e agradecemos sempre à Mãe por ter nos dado esse presente.

Quando fomos convidados a fazer parte do primeiro curso em Curitiba, tínhamos muitas dúvidas se esta era realmente a nossa vocação e se tínhamos o perfil para a União. Mas com o passar tempo, fomos conhecendo melhor o Movimento, a nossa comunidade e confiantes aos sinais que Deus nos dava fomos nos convencendo de que era o que buscávamos para nossa família, para as nossas vidas.

 Toda a formação que temos e a convivência e troca de experiências com nossos irmãos de curso e de comunidade nos ajuda muito tanto no nosso crescimento espiritual como nas dificuldades do dia a dia, principalmente em relação a educação das nossas filhas, Júlia de 9 anos e Manoela de 5 anos.

Hoje vivemos em Cali na Colômbia, mudamos em dezembro de 2013. Quando o Jean recebeu a proposta da empresa para assumir esta nova função, pensamos muito em como seria ficar longe de nossos parentes, nossos irmãos de curso, como seria a adaptação das crianças, mas confiantes de que eram os planos do Pai para a nossa família, aceitamos com a certeza de que seria para o nosso bem. Durante todo este tempo que estamos aqui sempre contamos com o apoio dos nossos irmãos e principalmente com as suas orações. Participamos das reuniões e encontros sempre que possível por Skype, o que nos faz sentir parte da família mesmo estando tão longe.

Na Colômbia existem apenas dois Santuários e o Movimento não é muito conhecido. Em Cali quando chegamos existia apenas a Liga das Mães e a Campanha da Virgem Peregrina. Junto com mais três casais formamos um grupo de Liga e estamos em busca de mais casais para que possa crescer. Quem sabe esta não foi a missão que Deus nos deu por aqui!!!

Em dezembro deste ano voltaremos para Curitiba, já estamos contando os dias. Mas quando pensamos em tudo o que vivemos desde que chegamos, percebemos o quanto aprendemos, estamos muito mais abertos a dizer Sim Pai a todos os planos de Deus para as nossas vidas e sempre com a certeza de que a Mãe cuidará de tudo.

Fábio e Vanessa Weizenmann - 22º Curso – UF – Região São Paulo

Iniciamos nossa caminhada no Movimento de Schoenstatt acompanhando nossos pais e, depois de casados, participamos durante alguns anos de Grupos da Liga de Famílias. Sentíamos uma grande vontade de fazer parte de uma comunidade que pudesse trazer mais elementos da espiritualidade Schoenstatt. Então, durante o Congresso de Outubro de 2010, fomos convidados a saber mais sobre a União de Famílias.

Em maio de 2011 participamos das primeiras reuniões e em fevereiro de 2012 nosso curso (XXII) foi fundado. Na União encontramos muito mais do que um grupo que quer se aprofundar no entendimento de Schoenstatt, mas sim uma verdadeira família com membros que possuem ideais e ideias similares. Conseguimos perceber isto de forma palpável durante o Encontro Territorial em novembro de 2013 em Santa Maria/RS. Temos a convicção de que Schoenstatt é definitivamente a resposta que as famílias contemporâneas necessitam e a União é um instrumento eficaz para que o mundo seja Tabor.

Nossas vidas têm mudado depois que começamos a participar da União de Famílias. Temos novas perspectivas para nossa família, queremos cultivar em nosso lar um ambiente alegre e sereno que possa transformar nossos filhos e a nós mesmos personalidades “livres, firmes e sacerdotais” através de nossos esforços de autoeducação, como nos ensina nosso Pai Fundador no Documento de Pré-Fundação.

Em fevereiro de 2014 embarcamos em uma grande mudança para nossa família. Mudamos de Cotia/SP para Nova York, nos EUA, país onde nosso Pai Fundador ficou quatorze anos exilado. Inicialmente tínhamos dúvidas sobre como seria nossa participação no Curso dada a distância. Estamos participando virtualmente das reuniões e encontros, assim o Curso tem sido presença constante em nossas vidas, a cada reunião temos mais convicção de que a nossa vocação é para a União.

Pedimos aos irmãos que nos leem que possam rezar por nós e que Deus e sua Querida Mãe confirmem nossa vocação e nossa missão em terras distantes.

Muito obrigado!

Diego e Daniella – XXVI Curso da UF Curitiba– PR

“Na nossa opinião, nada acontece por acaso, mas sim de acordo com a vontade de Deus! E assim também iniciou a nossa caminhada em Schoenstatt...

Há aproximadamente 8 anos, em um “feio dia” de maio, típico curitibano, fomos convidados, por um casal de amigos (Luiz e Daianna Lima – XV Curso UF) para participar de um almoço beneficente em “um tal Santuário de Schoenstatt”. Apesar do dia não tão motivador, como havíamos confirmado nossa presença, lá fomos nós!

(OBS Daniella: Ao chegar lá, para a minha surpresa, aquela “Capelinha” era o lugar que, desde os meus 7 anos de idade, eu pedia para a minha Mãe me levar novamente, pois eu havia conhecido junto com uma prima do meu Pai, porém, nunca consegui voltar por não fazer idéia de onde ficava.)

Já nesta visita, a graça do ACOLHIMENTO, tomou conta de nós! Como foi bom estar lá! O Céu já não parecia tão cinzento assim...

No início eram apenas algumas visitas esporádicas ao Santuário, que ao seu final sempre deixavam um “gostinho de quero mais”, ou seja, já estávamos sendo TRANSFORMADOS... até que no final de 2011 fomos convidados a fazer parte de um novo grupo da Liga de Famílias que iniciaria em 2012. Convite aceito, começamos a participar das reuniões e perceber que dia a dia o ENVIO APOSTÓLICO tomava conta de nossas vidas e que este era o caminho que buscávamos para se “assemelhar” à Sagrada Família de Nazaré. Em 22 de Setembro de 2013, selamos a nossa Aliança de Amor com Maria. De lá para cá muitas graças e bênçãos já foram alcançadas, bem como alguns obstáculos foram enfrentados com muito menos sofrimento por sempre termos a Mãe Rainha intercedendo por nós e conduzindo o nosso caminho pelo trajeto menos tortuoso.

Agora um novo chamado “bateu à nossa porta”, confessamos que de início ficamos um pouco “temerosos”, mas, o que temer quando temos a Mãe Soberana conduzindo a nossa vida? Nada! Então, convite aceito para subir mais um degrau em nossa caminha de fé, e aqui estamos nós sendo agraciados com a benção de poder fazer parte desta nova Família que se forma a partir de 21/03/2015, o XXVI Curso de União de Famílias.       

O que dizer sobre isso?! Que fazer parte da Família de Schoenstatt é, realmente, um presente de Deus! Presente este que não cansamos de agradecer, pois são inúmeros ensinamentos e pedagogias que ajudam e nos guiam para formar uma Família sólida e "do bem".

Família Tolari Klimczak

Diego e Daniella casados há 10 anos e, seus filhos, Douglas (2 anos) e Heitor que está a caminho.

*ÜÜüü*

Rogério e Daniela - XXIV Curso da União - PR

Querido Amigos!

Eu e e minha esposa, sempre buscamos ter Deus e Maria em nossas vidas, sempre nos sentimos acolhidos e protegidos, buscávamos algo a mais para a nossa vida e para a vida de nossos filhos. Como sempre a Mãe nos mostrou o caminho. Acreditamos que esse curso, possa nos dar base e sentido a nossa vida e a vida de nossos filhos. Nos sentimos previlegiados de fazer parte deste Curso. Obrigado a todos.  

Oscar e Maria Inês Teixeira - II Curso da União -SP

Saber o que queremos é muito importante e foi assim que começou nossa história. O namoro foi uma constante busca de viver em comunidade e de querer algo mais dentro da Igreja, aspecto que acentuou depois que casamos. Foi então que conhecemos Schoenstatt, e sem esperar, iniciamos na União de Famílias. Momento sagrado em nossa vida. Desde o primeiro instante sentimos que havíamos encontrado a Fonte. Assim, a União foi a cada dia nos encantando mais e confessamos que até hoje isso acontecesse pois ela se estende em cada pessoa que conhecemos dentro da Comunidade. Aprendemos através delas e nelas, amar a Mãe, o Santuário e nosso Pai e Fundador. Tivemos a graça de presentear essa herança aos nossos filhos. A União nos possibilitou exercitar a pedagogia de Schoenstatt, um mundo de ensinamentos que nosso Pai e Fundador nos propõe como estilo de vida, que nos levou a conhecer melhor todo nosso ser, um ao outro como casal e nos deu muita segurança para planejar e educar nossos filhos dentro de uma conduta ética, moral e religiosa. Assim, a formação dentro da União foi fundamental para a harmonia conjugal e nos mostrou como tomar decisões à luz da Providência Divina; nossos filhos puderam encontrar na Comunidade de Curso, mais exemplos de pessoas que buscam o mesmo ideal e isso os ajudou frente às correntes pós modernidade, sem se deixar arrastar pelas propostas do mundo. Desde pequenos os incentivamos a ingressar nos Pioneiros e permaneceram até sua Juventude. Isso nos ajudou muito pois partilhamos muitos pontos em comum. O que no início foi um desejo, hoje, podemos dizer com muita certeza que foi possível tornar realidade mesmo com tantas falhas e limitações da nossa parte. Não conseguimos viver sem a União. Amamos essa Comunidade que, exatamente neste mês de fevereiro, há 25 anos nela iniciamos.